segunda-feira, 23 de abril de 2012

Pequeno Guerreiro Pedro e mamãe Janaína em: Prematuro, A Luta Pela Vida


prematuro 27 semanas com 7 meses
Pedro mostra toda sua fofura aos
7 meses de vida!
Mamãe Janaína ressalta toda sua fé através de seu relato sobre o nascimento do Pequeno Guerreiro Pedro. Emocionem-se com a nossa volta das histórias de Prematuro, a Luta Pela Vida.

Oi queridos, meu nome é Janaína, sou a mamãe do Eduardo e do Pedro. Pedro é o meu segundo filho e para minha surpresa e de toda a minha família, nasceu prematuro, com apenas 27 semanas de gestação, pesando 970 gramas.

Minha primeira gravidez foi tranquila, meu filho completou os nove meses de gestação, devido a isso, eu realmente nunca poderia imaginar viver o drama de ter um filho prematuro, ao mesmo tempo, acredito que em todas as coisas Deus está presente e Ele não nos dá um fardo maior do que podemos carregar. O problema na minha gestação ocorreu no início da 24ª semana, senti um líquido escorrendo entre as minhas pernas e, como sou mamãe de segunda viagem, logo percebi que aquilo não era normal. Liguei para o meu médico e ele nos mandou direto ao hospital. Ao ser atendida pelo médico de plantão, ouvi do mesmo que não era nada demais, apenas uma infecção urinária e que eu devia começar a tratá-la com o meu médico, ele ainda ligou para o meu médico e o tranquilizou, disse que ele poderia dormir tranquilo, pois não era nada demais. Isso aconteceu no sábado, passei um domingo tranquila, senti o líquido descendo novamente e imaginei ser urina, conforme o médico havia dito.

Na segunda-feira, por orientação do meu médico, fui ao consultório dele e decidimos realizar um ultrassom... e o mundo desabou sobre a minha cabeça nesse momento, talvez um dos dias mais difíceis que já vivi em toda a minha vida. O líquido amniótico estava consideravelmente reduzido, eu havia acabado de entrar na 24ª semana, o que fazer? Meu médico, sempre muito cuidadoso, me levou até a sala dele e me deu duas opções, interromper a gestação e, provavelmente, uma vida ou internar e tentar segurar o bebê o máximo de tempo possível, acompanhando a diminuição do líquido amniótico através de ultrassons.

A decisão seria simples e óbvia, continuar a gestação, porém, a ausência do líquido poderia causar diversos problemas e deformações em meu filho, não havia garantia de que seria uma criança perfeita, devido a condição em que ele estava. Enfim, optamos pela vida, com toda dor que aquele momento nos proporcionou, decidimos optar pela vida do nosso filho, independente das cirscunstâncias.

Foram longas e dolorosas três semanas. Por muitas vezes o Pedro parava de mexer e o meu mundo também, eu pensava, será que ele se foi? Ou será que está apenas dormindo? Eu passava os dias deitada, me alimentava assim, cheguei a usar fralda geriátrica para não precisar ir ao banheiro, entrei em depressão, mas graças ao bom Deus, Ele sempre coloca anjos ao nosso lado para nos dar força. Meu marido, minha mãe e minha sogra, foram três pessoas fundamentais para o sucesso dessa história. Eu me entreguei totalmente a tristeza, mas eles me apoiaram, diziam palavras que me faziam acreditar num desfecho vitorioso. Meu marido sempre orava por mim e tentava injetar fé em meu coração. Recebi muitas orações; parentes, amigos; acredito que 50% de BH devia estar intercedendo por mim e por meu filho. E Deus ouviu as orações, chego a arrepiar enquanto escrevo, pois Ele realmente ouviu cada uma das orações.

Quando entrei na 27ª semana tive um sangramento muito forte e não havia mais como evitar o parto, no dia 17 de julho de 2011, com três meses de antecedência, nascia o meu pequeno guerreiro, Pedro. O momento do parto foi uma mistura de emoções, medo, alegria, incertezas, só sei dizer que ele chorou muito e eu também. Então vieram os longos 62 dias na UTI, duas transfusões de sangue, três infecções, entubado, destubado, entubado novamente, destubado, enfim, uma "roda gigante", um dia no alto, outro no baixo. Dias em que estamos muito fortes e em outros, nem tanto. Mas pude viver em todos aqueles dias o milagre de Deus. O primeiro deles foi a notícia de que o Pedro, muito provavelmente, passaria por uma cirurgia para fechar o canal do coração, as orações foram intensificadas, na noite em que recebi essa notícia, chorei tanto ajoelhada diante do meu Deus, que cheguei a suar e gritei com todas as minhas forças olhando para o céu, "Deus, eu entrego a vida do meu filho em tuas mãos, basta o teu toque para que ele seja curado e esse canal seja fechado". Após uma semana, ao refazer o exame, o canal estava fechado.

O segundo milagre aconteceu quando vi meu filho, já no CPAP (aparelho de oxigênio), com o narizinho todo ferido, super incomodado com aquele cano imenso em sua narina tão pequena, sofrendo, decidi orar durante toda a madrugada e pedir a Deus que o desse forças para respirar pra que ele não precisasse mais usar aquele equipamento e, no dia seguinte, ao chegar no hospital, fui surpreendida com o meu filhotinho respirando sozinho... eu chorei, chorei muito, não tinha palavras para agradecer a Deus, disse obrigada e chorei, chorei, creio que Deus recebeu aquele choro como mil palavras, pois havia muita gratidão nele.

Outros tantos milagres aconteceram e o que eu posso dizer a você mamãe, que está enfrentando a mesma situação, é que Deus é bom e nos ouve, bastar orar com Fé, colocar todo o seu coração quando falar com Ele. Aprendi que a Fé realmente move montanhas, enquanto eu estava caída e com pena de mim mesma, o Pedro estava cada dia pior, quando decidi reagir, orar, lutar, buscar, acreditar, agir a minha Fé, os milagres começaram a acontecer, um após o outro. Hoje o Pedro está com 9 meses de nascido, 6 meses de idade corrigida, não apresentou nenhuma sequela, está imenso, como se tivesse nascido no tempo certo, pois em minhas orações esse era um dos pedidos que eu fazia a Deus, que ele se desenvolvesse como um bebê a termo, pedi e acreditei e a cada dia vejo esse milagre acontecer na minha frente! Não quero que pense que esse é um caso raro, que ele deu sorte, pois não é. O mesmo Deus que operou milagres na vida do meu filho, pode operar na vida do seu, basta você crer, ter Fé e ainda que as circunstâncias mostrem o contrário, não deixe sua Fé vacilar, acredite!

"Pois em verdade vos digo, se tivésseis a fé do tamanho de um grão de mostarda, diríeis a esta montanha: Transporta-te daí para ali e ela se transportaria, e nada vos seria impossível. (MATEUS, cap. XVII, vv. 20.).

Editado por Monica mãe de Beatriz

Quer ler aqui a história de seu bebê? Mande um e-mail com fotos e autorização para: pequenosguerreiros@hotmail.com.
Todas as histórias são editadas antes de serem postadas.
O Projeto Pequenos Guerreiros apoia a amamentação do prematuro ao seio.
Não nos responsabilizamos pela veracidade dos fatos.
O Projeto Pequenos Guerreiros é a favor da liberdade de credo.

Um comentário:

  1. Que lindo depoimento!! Realmente precisamos ter muita fé!! Parabéns à mamãe e toda a família do Pedro pela garra e coragem!!
    Beijos

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...