segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Pequeno Guerreiro Allan e mamãe Marilene em: Prematuro, a luta pela vida

Pequeno milagre Allan
com 1 ano e 9 meses
Marilene precisou esperar por uma vaga em outra cidade para que Allan nascesse, conheça um pouco da história desse milagre.

Olá! Meu nome é Marilene e minha gestação foi super planejada, mas meu sofrimento não! Meu filho estava com nove anos quando resolvemos ter outro bebê. Engravidei no primeiro mês, que maravilha! Ficamos hiper felizes! Mas quando estava com 9 semanas tive um grande sangramento, fui para o pronto-socorro e o médico, através de uma ultrassonografia, constatou que estava tudo bem com meu bebê, mas me recomendou repouso.

Com 12 semanas tive outro sangramento. O médico do pronto-socorro chamou meu marido e explicou que o colo do me útero estava aberto, o que significava que haveria um aborto. Sofri e chorei muito! Por eu morar próximo ao hospital, fui liberada. O médico me instruiu a voltar ao hospital caso tivesse dores fortes. Em casa, me ajoelhei aos pés do Senhor e pedi pelo meu filho. Com o passar dos dias, o sangramento foi passando, marquei uma consulta e a obstetra constatou que o colo do meu útero havia fechado e me recomendou repouso. Assim o fiz até 28 semanas, quando minha bolsa se rompeu.

Fui para o hospital e o médico me disse que se o bebê nascesse naquele hospital, não sobreviveria. Novamente pedi ao meu Senhor. Fiquei internada e dia após dia agradecia ao meu senhor por não ter nenhuma infecção e por não ter entrado em trabalho de parto, pois naquela cidade não havia UTI Neonatal. Foram onze dias internada até que saiu uma vaga a duzentos e cinqüenta quilômetros da minha cidade. Assim que cheguei, após a transferência, fui preparada para a cesariana. Meu Allan nasceu com 1,500 quilos, 39 centímetros e chorou. O médico me disse: seu bebê é pequeno mas valente!

Triste a dor de não poder amamentar meu filho que acabara de nascer. Vê-lo indo para a UTI sem nem poder acompahá-lo. Acordar no quarto do hospital, cercada de mães com seus bebês ao lado da cama e você ali, sozinha. E triste. Ver meu bebê um emaranhado de fios, sedado, respirando por aparelhos e ouvir dos médicos que ele estava instável. Voltar para casa e não poder trazê-lo para o cantinho que preparei com tanto carinho para ele... Minha vida virou de cabeça para baixo. Ia visitá-lo aos finais de semana, não tive resguardo, não tive repouso, sentia dores, mas estava ali, firme e forte ao lado do meu pequeno. Se ele lutava por sua vida, quem seria eu para me prostrar e desistir? Nesse momento minha fé foi fundamental, meu Deus me ergueu e eu tirava forças da onde não tinha.

Meu pequeno Allan ficou por 55 dias na UTI. Teve icterícia, hemorragia intracraniana grau I e duas infecções. Saiu com 1,960 quilos. Se desenvolveu bem, sem nenhuma seqüela. Hoje meu Allan está com 1 ano e 9 meses, andou com 1 ano e 3 meses e hoje corre pela casa! Ele é a prova que Deus existe e não nos abandona. Nenhum dia sequer deixo de agradecer pela sua vida.


Editado por Monica mãe de Beatriz

Quer ler aqui a história de seu bebê? Mande um e-mail com fotos e autorização para: pequenosguerreiros@hotmail.com.
Todas as histórias são editadas antes de serem postadas.
O Projeto Pequenos Guerreiros apoia a amamentação do prematuro ao seio.
Não nos responsabilizamos pela veracidade dos fatos.
O Projeto Pequenos Guerreiros é a favor da liberdade de credo.

Um comentário:

  1. Nossa, me emocionei muito com sua história! Parabéns pelo seu guerreiro e parabéns pra vc tbm!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...