quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Apneia da prematuridade - Preemies Second Edition

Estava relendo o Preemies, livro americano que eu considero a bíblia para pais de prematuros, e achei um texto bem esclarecedor sobre apneia. Quem de nós, pais de prematuros extremos, não sofreu com esses episódios? Bia mesmo, tinha uma atrás da outra, algo que nos aterrorizava. O barulho do oxímetro que não sai da nossa cabeça por anos a fio. Traduzo, aqui, alguns trechos deste capítulo do livro para vocês entenderem um pouquinho mais.

O que causa a apneia em prematuros?

O complexo sistema que regula a respiração e os batimentos cardíacos não estão completamente desenvolvidos nos prematuros. Muitas vezes, a área do cérebro que regula a respiração "esquece" de mandar o sinal para respirar, então os movimentos respiratórios param. Outras vezes o cérebro manda corretamente o sinal para respirar, o peito se move como deveria, mas os músculos que deveriam manter a passagem de ar aberta, se tornam frouxos, então o fluxo de ar nos pulmões para.

A falha no envio do sinal para respirar pode ser causada por sono profundo ou a falta de oxigênio. Medicamentos sedativos podem piorar. E se o bebê respira rapidamente por um tempo, seu corpo pode compensar com uma pausa muito longa por alguns instantes logo após.

Apneia pode ser causada por stress oriundos dos procedimento, como sucção da secreção das vias aéreas, ou mudança da temperatura corporal. Dor ou fadiga podem causar apneia também, como também excessiva estimulação dos seus sentidos, ainda imaturos, barulhos altos, por exemplo (Aqui eu faço um parênteses próprio. É sabido que música faz bem ao desenvolvimento do prematuro mas evitem colocar celular ou qualquer outro aparelho com música dentro da incubadora nas primeiras semanas de vida do bebê. Além de não estimulá-lo, irá causar stress no bebê, que deveria estar no silêncio do útero. A UTI já é um ambiente cheio de apitos e sons dos quais o bebê não pode escapar, para seu próprio bem. Então, no afã de querer ajudar o bebê a se ecuperar, podemos estar prejudicando.) A apneia também pode ocorrer por causa de atividades comuns como mamar, movimentos do intestino, alongamento ou flexão excessiva do pescocinho.

Apneias e braquicardias (queda dos batimentos cardíacos) têm maiores possibilidades de acontecer 48 horas após o bebê tomar vacina ou ser anestesiado. Por segurança, alguns hospitais evitam dar algumas vacinas sem antes checar se o bebê teve apneias ou braquicardias nas semanas anteriores. (Isto não é problema; o pediatra checará se o esquema de vacinação está em dia e orientará a melhor forma de cumprir o calendário.)

Para tornar as coisas mais complicadas, apneia e braquicardia também pode ser sintomas de outras doenças, inclusive Sídrome da Agústia Respiratória, hemorragia itravetricular, convulsões, infecção, e enterecolite necrotizante. Estas doenças apresentam também outros sinais, havendo indicação, os médicos providenciarão exames para confirmar e o devido tratamento preventido. Mas essas causas são menos comuns que a simples apneia da prematuridade.

Quem tem apneia da prematuridade?

Muitos prematuros: 80 por cento daqueles nascidos antes de 30 semanas de gestação, um terço daqueles nascidos entre 30 e 34 semanas, e 7 por cento dos nascidos entre 34 e 35 semanas.

Qual o rumo que a apneia da prematuridade toma?

Apneia da prematuridade tende a seguir um caminho previsível. Normalmente se inicia nos primeiros dias de vida. Alguns bebês têm dois ou três episódios por dia, e alguns têm mais de uma dúzia -mas com o tempo, com a maturidade do organismo, as apneias se tornam mais leves, ocorrendo com menor ferquência e requerendo menor intervenção para estimular o bebê a voltar a respirar. Quase sempre desaparecem duas ou quatro semanas antes da data em que o bebê deveria nascer, apesar de que ocasionalmente podem persistir por até duas semanas depois desta data. Em tese, como regra geral, quanto antes o prematuro nasce, mais tarde tende a cessar a apneia da prematuridade.

Se você fica imaginando se as apneias do seu bebê cessarão logo, nós podemos dizer para você que: Muitos pais têm as mesmas dúvidas, e quase todos são surpreendidos pelo fim, mas se seu bebê for um dos poucos que precisam de mais tempo, não se preocupe. Sua alta provavelmente será adiada apenas em uma ou duas semanas.

As preocupações dos pais

Muitas preocupações passam pela cabeça de mães e pais quando seu bebê tem apneia. Uma é: meu bebê corre risco de vida ao ter uma apneia? Se seu bebê tiver apenas apneia da prematuridade, as chances de haver algum episódio mais severo são minúsculas. O bebê tem monitoração para alertar a equipe de enfermagem quando os sinais vitais estão baixos. Os monitores são programados para que a equipe tenha tempo de socorrê-lo. A equipe sabe como estimulá-lo ou até como ressucitá-lo, se for necessário.

Outra preocupação costante é: Apneias e braquicardias podem causar danos a longo termo? Apneias e braquicardias leves e ocasionais, mesmo quando seguidas de queda de saturação, acredita-se que não causem nenhum dano. Os bebês toleram baixos níveis de oxigênio por curtos períodos de tempo. Mas se a apneia for mais severa, com maior frequência, com quedas profundas de saturação, as chances do bebê desenvolverem retimopatia da prematuridade ou hipertensão pulmonar aumentam. Sempre que o coração do prematurinho fica abaixo de 50 ou 60 batidas por alguns segundos, o fluxo sanguíneo nos órgãos pode ser inadequado, aumentando o risco de enterecolite necrotizante e outros danos. Apneias e braquicardias também podem ser prejudiciais aos bebês que se recuperam de cirurgias e precisam de boa oxigenação e bom fluxo sanguíneo para sua cicatrização. Mas mesmo neste casos, se a queda de saturação e batimentos acontecer rapidamente e logo voltar a bons patamares, dificilmente haverá algum dano.

Por último, os pais frequentemente imaginam: A apneia da prematuridade aumenta o risco do meu bebê sofrer da Síndrome de Morte Súbita (mal dos sete dias ou morte no berço)? Isto não é algo com que você deva se preocupar. A apneia da prematuridade não está relacionanda com a síndrome. Ela vai embora quando seu bebê amadurece, e quando for, ficará no passado de vocês.


Minhas considerações como mãe de prematuro:

1. Ah, se eu tivesse lido um livro desses quando Bia tinha frequentes quedas de saturação. Eu simplesmente não entendia o que era "vai passar quando seu bebê amadurecer". Perguntei para inúmeros plantonistas e a resposta era a mesma, até que levei bronca de uma delas que achou que estava duvidando do seu parecer. Não estava duvidando, mas ninguém me disse que existia a tal da apneia da prematuridade. E que ela passa mais ou menos na época que o bebê deveria nascer.

2. Atenção, o texto trata da apneia da prematuridade, algo mais simples. Em alguma parte do texto citam a possibilidade de outra doença estar causando. É comum bebês que tiveram hemorragia intracraniana serem medicados preventivamente com um anticonvulsivante. Havendo ainda dúvidas, os médicos farão mais exames. Bia fez eletroencefalograma e ressonância magnética para descartar a possibilidade de serem convulsões. No texto não fala, mas anemias normais em prematuros também podem intensificar as apneias, por isso é frequente que se transfunda seu sangue.

3. O corpo humano não é uma máquina. Na medicina, 1 + 1 pode não ser igual a 2. Cada bebê reage diferente.
4. Peço sempre parcimônia com o que vocês leem aqui. Confie no seu médico e na equipe da UTI que trata de seu bebê. Deixe-os fazerem seu trabalho. A maciça maioria não está lá de brincadeira, por dinheiro ou qualquer coisa leviana. Os profissionais de UTI (médicos, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, enfermeiros), via de regra, estão ali por amor e vocação. Se você duvida da capacidade ou competência, sente e converse. Às vezes uma transferência pode ser mais adequado do que ficar duvidando e questionando de cada passo dado.

Desculpem o pequeno desabafo, mas textos na área de saúde me preocupam, pois de repente alguém de cabeça quente, pode ler de uma maneira um tanto distorcida e usar como embasamento "eu li no blog". A intenção de repassar informações como estas, é tornar claro. Porque com informação fica mais fácil saber contra quem estamos lutando (a prematuridade). Lutar no escuro pode aumentar a angústia, como aconteceu no nosso caso contra a apneia da prematuridade.

Beijos!

Monica mãe de Beatriz

Fonte: Preemiesa - Second Edition - Gallery Books - livre tradução de trechos das páginas 285, 286, 287, 288)

5 comentários:

  1. Tenho um bebê prematuro de 28 semanas, ainda está na UTI, próximo de ter alta, fico com muito medo dela ter apneia em casa, pois ela tem broncodisplasia e já teve apneias, vc q teve experiência com a Bia, acha q pode ter apneia em casa??

    ResponderExcluir
  2. Achei muito interessante seu relato, gosto muito de ler sobre a prematuridade para não sofrer tanto com os altos e baixos da NEO... Meu bebê nasceu de 26 semanas e hoje completa 83 dias de UTI, ainda está intubado e sempre que tentam reverter ele tem baixas de saturação e acaba voltando para o tubo, seu parto era previsto para o dia 01/10/14, você com sua experiência acha que se passando esse período ele pode se livrar logo desse tubo e das apnéias?

    ResponderExcluir
  3. Fiquei bem mais aliviada com o que li meu bebé tem 23 dias de uti nasceu de 29semanas,e com820 g saiu dos tubos a 6dias e agora começou fazer apnéia mas como ainda falta 1 mes para o tempo do parto vou ficar mais segura contando também que a equipe do hospital q ele está e otima muito Boa atenciosa e tem cuidado muito bem dele. Força para todas as mamães de prematuros vai dar tudo com certo.

    ResponderExcluir
  4. Meu Bebê nasceu com 25 semanas e agora ao completar 95 dias apresentou duas crises de apneia
    os médicos estão sustentando que seja crises convulsivas
    ele está bem e do nada para tudo
    foram feito tomografia de crânio, o laudo fica pronto em alguns dias
    estou muito triste sab ...
    elenasceu com 855 superou uma hemorragia pulmonar 57 dias intubado ...
    Quando is médicos estava estudando a alta apreceu essesepisódios de aapneia

    ResponderExcluir
  5. O meu bebê nasceu com 30 semanas, com 1.305kg, está na primeira semana na uti estava bem preucupado.Mas depois que li esse blog fiquei menos tenso. Também confio no trabalho dos médicos e da equipe que está tomando de conta dele. Eu estou confiando em Deus que vai dar tudo certo, e ele vai sair logo logo.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...