segunda-feira, 23 de maio de 2011

Prematuro, a luta pela vida: a história do Pequeno Guerreiro Gustavo Samuel e da mamãe Kelly

O elegante Gustavo com
1 ano e 9 meses!
Conheci a história da mamãe Kelly pelo seu blog (http://milagregustavosamuel.blogspot.com/) e não há como não se emocionar com a bravia luta travada pela família e vencida por Gustavo Samuel, que a cada dia se supera!

Tive uma gravidez tranquila. No sexto mês de gestação percebeu-se que o Gustavo não estava sendo nutrido adequadamente, já entrava em sofrimento fetal e o parto teve que ser antecipado. Gustavo nasceu com 29 semanas e 785 gramas, no dia 18 de julho de 2009. Sem respirar, não chorou e estava roxinho (cianótico). Saiu da sala de parto sendo ambusado e levado direto para UTI Neonatal.

Foi entubado, pois não conseguia respirar sozinho. Diagnosticou-se uma hemorragia intracraniana de grau I, que foi absorvida pelo organismo e não deixou sequelas neurológicas. Devido à prematuridade, teve sopro no coração (PCA) de 0,03 milímetros, que fechou sem necessidade de cirurgia, graças a nossas orações.

Aos quinze dias de vida, teve uma parada respiratória de mais ou menos 1 hora. O estado de Gustavo era muito grave e já não havia muitas chances de vida, mas Deus é fiel e devolveu o fôlego de vida ao meu filho. Os parâmetros da ventilação mecânica foram alterados para maior.

Durante os quatro meses na UTI Neonatal ficou entubado, não havia chance de extubação. Um dia chegamos para a vista e o encontramos com traqueostomia (cirurgia de abertura da garganta). Foi um baque muito grande, pois eu e meu marido não havíamos autorizado. Mas entendemos que naquele momento era a melhor coisa a ser feita. O tubo poderia vir a causar danos nas cordas vocais além de estenose na traqueia. Como ele sempre foi muito ativo, acabava arrancando o tubo...

Após a traqueostomia, Gustavo foi transferido para a UTI Pediátrica, onde ficou por mais dois meses com ventilação mecânica. Depois CPAP e nebulização. Neste período passei a morar no hospital. Diferente da UTI Neonatal, na Pediátrica eu podia ficar 24 horas ao lado do meu bebê. Revezava, então, com meu marido, mãe e irmã. Nunca o deixávamos sozinho. Foram mais quatro meses e meio, num total de oito meses e meio antes da alta. Gustavo finalmente veio para casa.

Foram quatro bons meses em casa em regime de Home Care, e então nossa novela recomeçou. Foram várias pneumonias de repetição que culminaram numa nova internação, em setembro de 2010, com suspeita de meningite, bacteremia, pneumonia,refluxo e bronco-aspiração.

Meu Deus, que luta! Mais quatro meses de internação. Gustavo chegou muito perto de ter que fazer uma gastrotomia (cirurgia de abertura do estômago) mas insisti em não fazer e fui respeitada. Depois de muitos exames, graças a Deus, não foi diagnosticado refluxo nem bronco-aspiração.

Gustavo permanece com a traqueostomia. É algo que nos incomoda, de difícil aceitação, mas nos adaptamos. Hoje em dia digo que em primeiro lugar é Deus que o mantém vivo, em segundo, é a traqueostomia.

Quem tem traqueo precisa ser aspirado com uma sonda que é introduzida até o fim da traqueia. Assim são aspiradas as secreções, pois quem tem traqueo às vezes não tem estimulo de tosse. Contamos com o suporte das auxiliares de enfermagem, mas o amor de pai e mãe é diferente. Muitas vezes as aspirações que fazemos causam menos desconforto ao nosso bebê.

Há algum tempo, Gustavo passou a válvula de fala pois antes ficava sufocado e roxinho ao acoplar. Segundo a fonoaudióloga, ele irá falar normalmente. Terá um pequeno atraso, porém com o estímulo correto tudo se normalizará. Gustavo ainda não fala nenhuma palavrinha, mas ouvir seus gritinhos, para mim, é a maior emoção!


Editado por Monica mãe de Beatriz

Quer ler aqui a história de seu bebê? Mande um e-mail com fotos e autorização para: pequenosguerreiros@hotmail.com.
Todas as hstórias são editadas antes de serem postadas.
O Projeto Pequenos Guerreiros apoia a amamentação do prematuro ao seio.
Não nos responsabilizamos pela veracidade dos fatos. O Projeto Pequenos Guerreiros é a favor da liberdade de credo.

2 comentários:

  1. Que lindo que ele é! Que Deus os abençoe mais e mais. Uma história muito linda pra me inspirar, meu bebê tem 15 dias de nascido, pesou 710 gramas, vou vê-lo todos os das na UTI e nem sempre as noticias são animadoras...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Estou na luta com meu pequeno Mateus, prematuro de 24 semanas, e consigo sentir o quanto é difícil para vc e sua família ter um filho assim. Seu filho é lindo e Deus está no comando e a cada dia ele se tornará mais forte. Que essa fase de sua vida sirva somente para fortalecer todos vcs, e que Deus lhe conceda muitas felicidades e muita força.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...